Era uma vez

Desde pequena a sociedade nos emite a acreditar em contos de fadas, e nas histórias de princesas que eram tristes e incompletas antes de encontrar o príncipe encantado (ou também conhecido como “metade da laranja”, “tampa da panela”, enfim) e isso mexe com o nosso interior da maneira em que faz que percamos a verdadeira essência do amor próprio e florido que existe dentro de nós. 


Oi, está foto é sua? Entre em contato ;) 

Deixamos que com o passar do tempo, as flores do nosso jardim interno se murchem por falta de amor, carinho e conhecimento sobre nós mesmos. E isso deixa com que tudo dentro de nós não se “complete” ou tenha sentido, como se uma parte do nosso jardim estivesse esburacado e “incompleto”. 

“Mas por que tantas aspas assim nesse termo que eu costumo usar tanto para me defender?”
A questão é, todos nós nascemos inteiros, nunca pela metade, não precisamos que ninguém seja nossa tampa, pois nós somos uma panela inteira, não precisamos que ninguém nos salve da “bruxa má” pois sabemos nos virar sozinhos e nos defender. 

O que falta em nós, é descobrir esse amor próprio, nos cuidarmos mais, fazer um carinho na nossa própria cabeça, pois como diria uma frase que tem no meu quarto “ainda bem que a gente, tem a gente”; você se imagina em um mundo sem você? Sem os seus olhos? O seu corpo? O seu interior? É algo abstrato e louco de mais, pois nunca vamos conseguir ver o mundo com outros olhos além dos nossos, mas mesmo assim, brigamos e odiamos tudo isso que a gente se tornou. 

Que a partir dessas palavras, você possa refletir um pouco sobre como anda o seu jardim, se você está cuidando bem dele, ou ele está morto, e se estiver, não tem o menor problema, o que o amor não faz, não é mesmo?! 

E nunca se esqueça de que para que você possa ajudar alguém a cuidar do jardim, você tem que aprender com o seu, ou seja, se você descobrir como se amar, o amor vai te procurar para que possa acrescentar e não completar, pois você será a princesa que se salvou sozinha!! 

Hoje eu entendo

No final do ano passado, eu estava dando um tiro no escuro ao dizer que tiraria esse ano para mim, para eu me encontrar e entender os meus desejos, para que no final tudo estivesse organizado. E confesso que nos primeiros meses eu estava muito agoniada e perdida, me perguntando se isso foi mesmo o certo de se fazer.



Com o passar do tempo fui me descobrindo e vivendo tudo que deixei ser perdido no ano que passou por conta de toda pressão que eu estava colocando em mim mesma. E isso é muito louco, pois nem eu mesma notava o quanto aquilo tudo estava me fazendo mal; mas creio que isso seja normal, muitas vezes a gente só enxerga os erros depois que eles já se passaram.

E isso tudo serviu para que eu visse o quanto ME deixei de lado no ano passado, ao mesmo tempo que estava lutando por algo que eu queria alcançar, e projetando toda a minha felicidade nisso, eu me deixei; minha saúde mental estava abalada, e a física também; o que me deixava ainda mais preocupada em que a minha vida se resolvesse logo e naquele mesmo ano.

E olha só hoje, os meus planos do ano passado não foram concretizados e fui muito julgada por ter "desperdiçado" muitas oportunidades apenas para continuar vivendo por aqui; mas hoje vejo o quanto está valendo a pena, ter me dado esse tempo, e não por uma questão de falta de opção, pois eu tinha várias para esse ano. Mas pelo menos uma vez eu consegui ouvir o meu coração, e ele me dizia que não era a hora de ir, não era a hora de me arriscar pois eu não me conhecia direito.

Não que hoje eu tenha 100% de conhecimento sobre o meu interior, mas muitas coisas se esclareceram durante esses 6 meses que se foram, eu realmente entendo quando dizem que na vida precisamos nos dar um tempo, e que tudo tem uma hora certa. Hoje eu entendo que nem sempre vamos ter certeza das coisas, mas que sempre vamos poder confiar no Escritor desse livro, que se chama vida.


Como a chama de uma vela

As vezes a saudade bate no meu peito, e diz que eu deveria ser mais presente e ativa com muitas pessoas que estão a minha volta. Mas ao mesmo tempo, meu corpo e mente clamam por uma solidão, só minha, um momento e uma circunstancia que só cabe a mim.

Se essa foto for sua, por favor entre em contato para pedir os créditos ou a retirada da imagem


Não sei explicar meus sentimentos, só gostaria de ser melhor, para mim e para o próximo. Com os últimos ensinamentos da semana, ando querendo ser melhor, parar de as vezes olhar tanto para o meu interior e começar a expandir o que há de bom em mim para outras pessoas, e sim, pode ser um desejo as vezes inútil ao seus olhos, mas sempre fui uma pessoa muito na minha, assuntos sérios definitivamente não eram comigo.

Não sabia ao certo como me expor, ou se devia me expor em um momento de discussão ou até mesmo em uma conversa normal. O acaso me ensinou que tenho medo da vulnerabilidade, ou de me sentir exposta perante a alguma coisa. A vida me fez forte para muitos momentos, mas também me fez armada para não me abater em tantos outros destes.

Por muito tempo, quis que os acontecimentos, apenas passassem e eu estivesse por perto, na minha, mas hoje vejo o quanto é necessário a gente sentir isso, na hora certa, e mesmo se for pesado ou triste, É NECESSÁRIO a gente sentir todos os sentimentos que a vida nos proporciona. Eu sou a prova de que guardar os sentimentos para segundo plano não é uma boa ideia, visto que em um futuro próximo, tudo aquilo que foi guardado pode explodir dentro de ti, como uma avalanche de sensações.

Enfim, que você consiga entender, assim como eu entendi, que os sentimentos estão nas nossas vidas para serem sentidos, e que muitas vezes a razão pode falar mais alto e te deixar por ai, perdido. Mas escuta o seu coração e além de tudo, não deixe que esse sentimento seja em vão, aproveite o quanto pode quando ele estiver com você, pois assim como a chama de uma vela, os sentimentos são fáceis de se apagar. 

Você quer fazer a diferença?

Na ultima semana tive o privilégio de notar a vida de uma forma diferente, de uma forma empática com um pequeno ser que vemos todos os dias, mas não notamos como eles são cheios de vida assim como nós.


No primeiro momento, notei uma movimentação estranha em uma pequena árvore no meu quintal, pouco depois um ninho estava formada para uma pequena andorinha transferir parte dela para três novas vidas. E em menos de dois dias eles já estavam la, passando por dificuldades (Chuva e ventos), e mesmo assim fortes o suficientes para sobreviver. Em menos de duas semanas eles ganharam confiança suficiente para voar por essa imensidão que chamamos de mundo.

Você, leitor, deve estar se perguntando por que estou escrevendo essas palavras; e eu te explico. No nosso cotidiano, estamos tão preocupados com nossas próprias funções que nos esquecemos de observar os pequenos detalhes que o mundo nos proporciona, além de que nem notamos como que a natureza é um releitura da vida, que mesmo se não querermos ela vai fazer sua função, e não temos controle de nada além de nossas próprias ações.

Dentro disso, pude tirar a conclusão do quanto precisamos ser fortes para sobreviver e conseguir voar, dominar o nosso mundo e de certa forma mudar de uma maneira positiva o que há ao nosso redor, pois somos nós que escolhemos como cada sensação do dia a dia, se encaixará na nossa vida, e se fará a diferença ou não.

A escolha é apenas nossa, se queremos lutar para conseguir superar a chuva, ou se vamos nos entregar para que a vida faça de nós o que ela quiser. Enfim, depois de tanto pensar, descobri o quanto quero ser mais ativa nos meus planos, como quero fazer a diferença para o bem ao meu redor, seja com um sorriso ou com minhas palavras. E você, quer fazer a diferença? 

Ei, agradeça!!

Mais uma noite que me pego desperta às coisas que a vida tem a me oferecer. Isso me faz lembrar quando comecei a escrever e a me encontrar nesse universo de palavras, onde sempre depois da meia noite minha mente se abria e pedia socorro dos meus pensamentos.



E nesse fim de ano, meu interior clama por GRATIDÃO!! Algo tão simples que faz tanta diferença na nossa vida, pois começamos a olhar a vida com outros olhos, os olhos de quem, mesmo com muitos questionamentos e problemas, é simplesmente grato por viver mais um dia.

Estou encarando os dias de uma forma diferente nos últimos tempos, ao invés de reclamar, agradecer, pois todos os dias somos presenteados por uma nova chance de ser melhor que ontem, e tem coisa melhor que isso?! Para mim não... Citei isso no Twitter nessa semana, quando disse que o sol acordou sorrindo e me fez ter vontade de sorrir também, e simplesmente viver aquele dia!!

Se você, leitor, não tem esse costume de agradecer, faça um exercício, todo dia escreva ou pense, pelo menos duas coisas que te fizeram sentir gratidão nesse dia, e vai ver como é difícil no começo, mas depois começa a fazer isso sem nem perceber; e olha você não tem nada a perder, pelo contrário, isso irá abrir seus olhos para uma vida que pode ser mais bonita!

Enfim, agradeça!! 

Precisamos simplesmente de força!!

Já sentiu que seu tempo se esgotou?? Que não temos para onde correr, ou que de alguma forma tudo iria se acabar daqui poucos dias? Se não, grande sorte.. É algo que vem me cercando durante os últimos dias, e mesmo que eu ainda não esteja pronta para falar, isso tem que parar de me sufocar.


Mesmo que Renato Russo diga que 'temos todo tempo do mundo', muitas vezes esse tempo parece ter acabado. Me sinto perdida.. Nos últimos meses venho fazendo planos e pensando em tudo que se passou e em quem eu quero ser daqui para frente, mas é tão difícil pensar no futuro se seus pensamentos estão tão perdidos no presente.

Ontem mesmo estava fazendo a programação de estudar para o Enem, e ir bem e ser 'feliz para sempre', e agora? O Enem já passou, faço 18 anos daqui seis dias, e deixo de ser estudante do Ensino Médio em dez dias. E minha cabeça voa, o fim do ano chegou novamente e as coisas não aconteceram da forma que eu esperava que acontecesse ao longo desse ano. Foi uma série de crises e dúvidas que eu jamais me imaginei afundar, e hoje? Estou aqui, chorando novamente para um computador.

As vezes penso que estamos tão preocupados com o futuro que nos esquecemos de viver o presente, apenas sobrevivemos aos dias, as semanas, meses.. Mas não tem como não pensar, seria hipocrisia da minha parte dizer que eu não faço planos, que não quero saber o que vai acontecer em 2018, ou até mesmo amanhã, se você não é assim, parabéns, mas infelizmente sou dessas que sofre antecipado com tudo na vida.

E sei que isso me faz mal, a poucos minutos estava dando risada com um vídeo, me distraindo, mas quando voltei para a realidade, pensei que 2017 acabou. A escola simplesmente se foi, e a partir de agora não estarei no meu senso comum de dias normais de semana. Não serão as mesmas pessoas, o mesmo ambiente ou até mesmo a mesma cidade... Eu simplesmente não sei.. E é isso que me frustra.

Mas eu continuo, tiro forças de onde não tenho para aproveitar todos os últimos dias do lado de pessoas que eu amo, admiro e sei que vão muito além do que são hoje. E assim como eu, sofrem por frustrações internas que as atormentam toda noite, pois o tempo ta correndo, e sei que mesmo se o relógio parar, o dia vai amanhecer do mesmo jeito, as horas vão passar mesmo que não haja algo marcando.

E mesmo diante de tantas dúvidas que estamos passando eu sinto que essa linha do tempo tem algo muito especial reservado para cada um de nós, longe ou perto, nossas vidas irão fluir do jeito que tem que ser, sendo tudo no tempo certo e nos momentos adequados.. Precisamos simplesmente de força para continuar!!

Uma mistura de sensações

Triste quando você se sente perdido. Muito mais pesado quando quer se encontrar, mas não acha um caminho que possa seguir, e que de alguma maneira veja que você só estava desatento, e sua realidade está na frente de seus olhos.



Uma mistura de sensações que é complicado explicar, mas também tão exaustivo de se pensar, que em certos momentos sua mente pede um tempo para não pensar em coisas complexas como a vida obriga; ela pede um tempo para respirar, ar puro, e eu dei esse tempo para ela, não a forcei a nada.

Mas as realidade bate a nossa porta em pouco tempo, e as duvidas ressurgem sempre, e nada está certo ou errado, é estranho de pensar mas é  pior ignorar. As vezes é necessário apenas ir, viver e seja o que o narrador dessa história quiser, pois por pior que seja, o meu sonho não é como o Dele, mas sei que o que Ele escolher vai ser o melhor para mim.

E até encontrar essas respostas, e muito mais que isso, conseguir expressar a confusão que se encontra sua cabeça em poucos minutos, é uma questão de amadurecimento. Até por isso que não tenho escrito muito, cai numa fase em que as coisas só conseguem se transbordar quando realmente estão formuladas, não são apenas palavras, mas sim verdades.

Verdades de uma menina prestes a fazer 18 anos, e que começou tão nova a querer o mundo na sua vida, mas que quando chega o momento de simplesmente IR, o medo fala mais alto e uma insegurança pesa nas costas, mas por incrível que pareça, isso nos faz crescer, tentar entender que o que queríamos a dois anos atrás não é o que condiz com a realidade, é crescer, e me sinto bem em pensar que sim.. eu cresci.

Os sonhos estão guardados em mim, e na medida do possível eles serão realizados, mas com menos euforia do que a Sarah de 15 anos colocava, com o entendimento que nem tudo na vida vem fácil, mas que se vai muito instantaneamente.. E que as vezes só precisamos de tempo, para perceber o que tem ao nosso redor e força para lutar por esses sonhos que sempre serão os principais de nossa vida!!